Utilidade pública: Como congelar alimentos e evitar o desperdício

Em época de pandemia não pode haver desperdício de alimentos. Por isso, congelar alguns alimentos pode ser uma boa saída para não jogar nada fora. A médica nutróloga Dra. Ana Luisa Vilela, de São Paulo, explica a melhor maneira de fazer o congelamento de alimentos e assim manter os produtos em casa em um estado mais próximo ao original, já que o processo imobiliza a água presente nele e isso dificulta as reações microbiológicas. “Assim, evitamos o crescimento de microorganismos que podem causar intoxicações, mas para congelar qualquer alimento, é necessário estar atento à dois importantes itens: temperatura que deve ser de pelo menos -18ºC e ao tempo que os produtos ficam no freezer”, avisa a médica que deixa algumas dicas:

Arroz (3 meses) em recipientes de plástico com total vedação na tampa, próprios para o freezer.

Carnes cozidas (2 a 3 meses) congeladas em embalagens ou saquinhos sempre de plástico.

Aves cozidas (4 meses) armazenadas em recipientes de plástico com vedação completa, para evitar a entrada de bactérias.

Carnes e aves cruas (até 12 meses) podem ser conservadas em recipientes de plástico, específicos para congelamento de alimentos, ou nas próprias bandejas do mercado e armazenadas sem tempero.

Leite se for retirar da embalagem original, ele deve ser colocado em um recipiente que possa ir ao freezer e que seja grande o suficiente para deixar espaço para a expansão do leite ao congelar. O leite congelado pode ficar no freezer por até 4 meses, e para descongelar o recomendado é fazer isso lentamente na geladeira e pode ser consumido sem problemas e é tão nutritivo quanto o leite fresco.

Peixes magros (4 a 6 meses) podem ser armazenado em potes de plástico com tampa e pode ser mantido no freezer por um período de quatro a seis meses. Já os mais gordurosos (2 meses) como o salmão, duram menos tempo.

Massas prontas (3 meses) mas precisam ser congeladas em embalagens de plástico e o molho, o ideal é uma embalagem de vidro.

Molhos e sopas (2 a 3 meses) congelados em recipientes de vidro bem tampados.

Queijo (1 mês) os frescos não devem ser congelados por conterem muito líquido. Os demais, embora sejam mais consistentes, têm uma durabilidade curta devido à facilidade de entrada de bactérias por isso, devem ficar congelados por no máximo um mês.

Fonte: Dra. Ana Luisa Vilela

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Itajubá – MG, especialista pelo Instituto Garrido de Obesidade e Gastroenterologia (Beneficência Portuguesa de São Paulo) e pós graduada em Nutrição Médica pelo Instituto GANEP de Nutrição Humana também na Beneficência Portuguesa de São Paulo e estágio concluído pelo Hospital das Clinicas de São Paulo – HCFMUSP.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *